ADOTE UMA FAMÍLIA

O Instituto SEB, pelo seu programa Mentoria Social,, está lançando o projeto SOS Ribeirão - Adote uma família, mais uma ação social para o enfrentamento das consequências da pandemia da COVID 19.

Dentre todas as famílias cadastradas no MENTORIA SOCIAL para o recebimento de doações de cestas básicas, estão sendo selecionadas aquelas que se encontram em estado de extrema vulnerabilidade. Um breve relato da situação de cada família selecionada estará disponível em nosso site, com a necessária preservação da identidade.

A pessoa física ou jurídica que demonstrar interesse em adotar uma ou mais famílias terá acesso mais detalhado ao histórico familiar (que expressamente consentiu em compartilhar as informações), inclusive com fotos dos componentes e de seu ambiente domiciliar.

A adoção consiste na doação direta, em conta bancária em nome de um dos integrantes da família, do valor de R$ 300,00 (trezentos reais) mensais, pelo período mínimo três ou seis meses, podendo se estender a critério do doador.

A comunicação dos depósitos será feita, preferencialmente, pelo doador à família por meio de contato disponibilizado.

O interessado em adotar poderá fazer a seleção da família em nosso site e entrar em contato com o MENTORIA SOCIAL pelo e-mail contatomentoriasocial@gmail.com , ou pelo telefone (16)3968-7037 indicando qual foi a sua escolha, oportunidade em que receberá instruções do procedimento e acesso a mais informações sobre a família adotada.

O MENTORIA SOCIAL é um facilitador nos contatos do doador e da família em todo o período que a adoção ocorrer.

Foram selecionadas 134 famílias para o Projeto "Adote Uma Família", destas, 110 já foram apadrinhadas, faltando ainda 24 famílias a serem beneficias com o auxilio financeiro.  Todas a famílias visitadas pelo Mentoria Social  precisam e contam muito com ajuda. SEJA UM PADRINHO.

3653733.jpg

Família 1

Conheça a história dessa família

****** e o marido moram em Ribeirão Preto há 02 anos. Desde que chegaram em Ribeirão Preto moram na Comunidade Vila Nova União (Favela localizada na Vila Albertina), vieram para a cidade, pois o pai de ******* mora aqui há muitos anos.

 

A cidade representa para o casal o sonho de uma vida melhor, disseram que aprenderam muitas coisas em Ribeirão Preto, “tanto coisas boas como ruins”, faz um ano tiveram o bebê ******.  tem 21 anos, trabalhou na roça e como coladeira de sapato na cidade de Jaiba/MG, fez um curso de designer de sobrancelhas, mas nunca trabalhou na área, sonha montar um salão de beleza para ela. Na hora da visita ***** não estava em casa, tinha saído para procurar trabalho, ***** disse que ele tem 22 anos é ajudante geral.

 

A casa do casal é cedida, foi construída com madeira e tem 03 cômodos, sendo: quarto, cozinha e banheiro, em condições muito precárias. Não tem pia no banheiro e nem na cozinha, apenas tanque de lavar roupa. Toda a mobília é muito ruim, não tem armários e guarda roupas.

 

O casal está casado há 04 anos, a renda atual é proveniente do auxílio emergencial no valor de R$600,00, recebem o bolsa família no valor de R$84,00 (suspenso enquanto receberem o auxílio emergencial), sonham em ter sua própria casa e viver bem com seu filho.

3653733.jpg

Família 2

Conheça a história dessa família

A ****** e o marido ***** são de São Luiz/MA, moram há 15 anos em Ribeirão Preto, pagava aluguel, e a 03 (três) anos se mudaram para a Comunidade Vila Nova União. ****** e ****** estão casados há 15 anos. ******* tem 37 anos, é muito simples, fala bem, concluiu o ensino médio, trabalha como auxiliar de limpeza, com carga horária de 04 horas, sendo seu salário menor que 01 salário mínimo, no valor de R$700,00, atualmente está de licença maternidade.

 

O marido ****** tem 35 anos, ele não estava na hora da visita, ****** disse que ele estudou até a 8ª série do E.F.II, sempre trabalhou como servente de pedreiro, ele está desempregado já faz algum tempo. Ele quer trabalhar. O casal tem 03 filhos com idades entre 15 anos e 02 meses. ****** tem um filho mais filho de um outro relacionamento, ******* com idade de 18 anos, estudou até a 8ª série E.F.II, está fora da escola.

 

A filha ****** tem 15 anos, está na escola na 7ª série E.F.II. A Filha ***** tem 8 anos, está na 3ª série do E.F.I. O filho ***** é recém-nascido está com 02 meses de idade A renda da família é proveniente da licença maternidade da ****** no valor de R$700,00. A casa da família é precária, construída de alvenaria, são 04 cômodos divididos entre: 02 quartos, cozinha e banheiro, mas não está em boas condições; não tem tanque para lavar a roupa e não tem pia no banheiro.

 

Nota-se na família desafios como: baixa escolaridade, desemprego, ausência do serviço social e ausência de capacitação profissional. A família sonha em ter trabalho, construir uma casa melhor, os pais querem ajudar os filhos a ter condições de vida melhor com estudo, profissão e trabalho. Na Região não há oportunidade de lazer, esporte, cultura e serviços de assistência social – proteção básica.

 

A Comunidade Vila Nova União não tem saneamento básico, ou seja sem esgoto, todas as unidades habitacionais são fossas, a rede elétrica é precária, os próprios moradores que puxaram os fios para as casas, não tem qualquer tipo de infra estrutura, a coleta de lixo é feita nas ruas laterais, não é feita dentro da Comunidade, a Comunidade reclama da Ausência do serviço social.

3653733.jpg

Família 3

Conheça a história dessa família

A ****** tem 39 anos, é de São Paulo/SP, veio para Ribeirão Preto há 06 anos, já trabalhou como faxineira e na roça, atualmente está desempregada. É uma pessoa simples, gostaria de fazer um curso de culinária.

 

O marido ****** tem 36 anos, é de Pitangueiras, trabalha como pedreiro, atualmente está desempregado. O casal tem 02 filhos juntos (****** e *****), os 02 filhos (****** e *****) são do ***** adotados de coração pela *******.. Os filhos têm 10 anos a 1 ano de idade. Vivem na Comunidade Nova Vila União há 03 anos, foram despejados da casa onde moravam no Jardim Marchesi, pois não conseguiram pagar o aluguel.

 

A moradia é muito simples e pequena, sem ventilação, construída de madeira, são 03 cômodos, sendo: sala/quarto, cozinha e banheiro sem chuveiro. A renda da família é proveniente do auxílio emergencial, no valor de R$1.200,00 até junho. Nota-se na família baixa escolaridade,  desemprego, ausência de capacitação profissional e criança fora da escola. A família sonha em não passar mais dificuldades nem fome, esperam construir uma casa melhor, “melhorar de vida” (sic), relatam que aprenderam a ser mais unidos e ajudar o próximo indo morar na comunidade. Na Região não há oportunidade de lazer, esporte, cultura e serviços de assistência social.

 

A Comunidade da Nova Vila união não tem saneamento básico, ou seja, sem esgoto, todas as moradias usam as fossas, a rede elétrica é precária, os próprios moradores que puxaram os fios para as casas, não tem qualquer tipo de infra estrutura, a coleta de lixo é feita nas ruas laterais, não é feita dentro da Comunidade.

email contatomentoriasocial@gmail.com, ou pelo telefone (16)3968-7037 indicando qual foi a sua escolha, oportunidade em que receberá instruções do procedimento e acesso a mais informações sobre a família adotada.

Rua Mariana Junqueira, 33 | Centro 
Ribeirão Preto | CEP 14015-010